Blog

A ascensão e riscos das listas de spam trap

Tom Sather | 19 Abril, 2017

Recentemente, um profissional de e-mail marketing me abordou para perguntar por que uma empresa com a qual a sua estava trabalhando lhes forneceu os spam traps específicos para os quais estavam enviando mensagens e o porquê de a Return Path e outros operadores de spam traps e blackslits não oferecerem essas informações. A resposta rápida: aquilo não são spam traps – ao menos não no sentido tradicional.
Então, o que são os “spam traps” e, mais importante do que isso, eles são mesmo úteis? À medida que cada vez mais serviços de entregabilidade, spam trap e higiene de lista oferecem listas de spam traps para comparar com sua lista de envio, é importante entender a distinção, riscos e valor dessas listas.

Em primeiro lugar, vamos relembrar o que é um spam trap, que é dividido em dois tipos:

  • Spam traps pristine: endereços de e-mail que nunca pertenceram a um usuário real. Spam traps do tipo pristine são armadilhas para atrair spammers que capturam endereços de e-mail a partir de websites ou ataques de dicionário (técnica para desvendar cifras ou mecanismos de autenticação ao tentar determinar suas chaves ou senhas, através de centenas ou milhões de probabilidades testadas, como se fossem palavras de um dicionário).
  • Spam traps recycled: diferente dos spam traps do tipo pristine, os recycled são endereços que, em algum momento, já foram legítimos. Esses endereços foram abandonados e transformados em usuários desconhecidos (de modo a fornecer a profissionais de marketing um aviso para removê-los de suas listas de envio) antes de evoluírem para spam traps do tipo recycled.

O que são as chamadas listas de spam trap, fornecidas por serviços terceirizados, para que profissionais de marketing limpem suas listas?
Empresas compram domínios não utilizados e configuram diversos endereços de e-mail para cada domínio. Se existisse, por exemplo, um domínio não utilizado “armadilha.com’, elas o comprariam e criariam endereços como ‘12345@armadilha.com’. Após elaborar esses endereços, as empresas aguardarão o recebimento de e-mails. Uma vez que essas contas não foram utilizadas para inscrever-se em nenhum programa, quaisquer mensagens recebidas são consideradas não solicitadas e, portanto, spam.
Quando esses endereços começam a receber e-mails, o serviço terceirizado irá enviar dados de volta ao remetente, com informações claras o suficiente para que ele localize os endereços de spam trap.

Embora esses endereços sejam, por definição, spam traps do tipo pristine, eles não são utilizados por provedores de serviços de e-mail como Gmail, Yahoo! e Outlook.com. As principais blacklists da Spamhaus também não os usam para detectar spam. Portanto, remover tais endereços de sua lista não resolverá quaisquer problemas que você possa ter com os principais provedores e blacklists.

Por outro lado, a rede de spam trap da Return Path é composta por endereços de e-mail que pertencem a provedores de serviços de e-mail e utilizada pelas principais blacklists e filtros de spam de reputação. Os spam traps inclusos na Data Cloud da Return Path realmente impactam na entregabilidade e taxas de entrega na caixa de entrada de remetentes em diferentes provedores.

Então, espere. Você está me dizendo que eu não posso obter uma lista dos spam traps para os quais estou enviando mensagens?
Sim. Provedores de serviços de e-mail, operadores de blacklists e spam traps jamais revelam seus spam traps. Um spam trap não corrompido é fundamental para o funcionamento de sistemas de anti-spam automatizados. Uma vez que programas de marketing baseados em permissão não deveriam enviar mensagens a spam traps, é seguro para que sistemas de anti-spam filtrem ou bloqueiem e-mails a partir do endereço de IP de origem.

Spam traps começam a ser corrompidos quando um terceiro descobre quais endereços de e-mail são spam traps, uma vez que spammers utilizam essa informação para evitar serem identificados. Isso não apenas tira o propósito de atrair e capturar spammers, como também os spammers inscrevem spam traps corrompidos em suas listas de e-mail, na esperança de incluir seus endereços de IP em blacklists. Ainda que a empresa que lhe forneça os spam traps afirme que blacklists utilizam tais endereços, essa é uma prática perigosa, como descrito acima.

Então, esses pseudo-spam traps são uma perda de tempo?
Sim e não. Esses pseudo-spam traps podem ajudar um profissional de marketing a encontrar fraquezas em suas fontes de aquisição de endereços de e-mail e ajudar provedores de soluções de e-mail marketing a identificar maus remetentes em suas redes. No entanto, para um remetente, remover esses pseudo-spam traps de suas listas não melhorará a reputação ou entregabilidade, nem lhe removerá de uma blacklist como a Spamhaus. De fato, um spam trap compartilhado ou corrompido pode ser usado desfavoravelmente contra empresas.

Embora esses pseudo-spam traps não sejam completamente sem mérito, qualquer equipe de e-mail marketing deve perguntar-se se prefere ter dados reais de spam traps para resolver problemas ou pseudo-spam traps que apenas lhes dirá o que já sabem.

Your browser is out of date.
For a better Return Path experience, click a link below to get the latest version.