Blog

Blacklisted: Evite que seu programa de Email seja Rejeitado

Imagine o cenário: você trabalhou duro, a semana toda, cumprindo prazos e produzindo emails atraentes e criativos, que são processados maravilhosamente bem em vários dispositivos. Agora, tudo que você quer fazer, é relaxar em uma balada. Então, você corre para casa, tira sua camisa favorita do guarda-roupa e vai aproveitar a noite.

Depois de aparentemente esperar por horas e xingar aqueles que furaram a fila, você chega até a porta para fazer a volta. Naturalmente, você tenta descobrir por que foi negado a você o acesso a um mojito gelado e aquelas batidas de funk. O segurança diz: “você está na nossa lista de barrados” e mostra uma imagem que poderia, através dos olhos semicerrados, parecer vagamente com você, como se você tivesse sido criado por uma matilha de lobos. Apesar de protestar, você se afasta e relutantemente chega em casa desanimado. Afinal, você não tinha feito nada errado!

De volta ao trabalho na segunda-feira, você está analisando os resultados da última semana de campanha e percebe que há uma quantidade anormal de devoluções. Mediante uma inspeção mais próxima, você lê: “550 5.7.1 Conexões não aceites a partir de endereços de IP em Spamhaus“. Você acabou de ser barrado do clube, é como noite de sexta novamente!

Spamhaus é um exemplo de blacklists que muitos ISP podem optar por utilizar de uma forma semelhante ao porteiro da casa noturna e sua lista de barrados. Blacklists podem assumir diversas formas, mas seu objetivo geral é ajudar os ISPs a bloquear spammers conhecidos, seja indicando que eles deveriam recusar a entrada ou aplicar filtragem adicional para o email.

Assim como uma casa noturna teria terríveis problemas se deixasse todos entrarem, sem verificar as suas credenciais, os ISPs seriam inundados com spam e suas redes rapidamente ficariam paralisadas. De acordo com a Commtouch, cerca de 75% de todos os emails enviados nos três primeiros meses de 2012 foram spam. Por isso, há a necessidade do provedor em proteger seus clientes, filtrando-o e assegurando que o email legítimo possa ser entregue. Ao utilizar blacklists, um ISP pode reduzir a quantidade de spam que entra em sua rede em até 80%.

Todos os ISPs usam blacklists diferentes e podem ser compiladas a partir das várias blacklists públicas ou blacklist interna própria do provedor. Blacklists públicas têm abordagens diferentes em relação à listagem e várias definições de spam, apesar de achar que email problemático pode às vezes ser uma melhor descrição. Se você enviar emails que os administradores de sistema encontrem problemas, gera uma grande quantidade de reclamações ou feedback pobres, então você pode facilmente encontrar-se em blacklist. Blacklist interna de um ISP geralmente é construído para refletir reclamações de spam, taxas de usuários desconhecidos e problemas de configuração do servidor.

Blacklists de IP, tais como as fornecidas pela SORBS, Spamhaus e SpamCop, são utilizadas pelo ISPs para uso em seus servidores de entrada, com o objetivo de verificar o endereço de IP do servidor de envio solicitando uma conexão e identificar os remetentes problemáticos, tais como aqueles com centros de abertura, abertura de proxies, spammers conhecidos ou provedores de Internet que permitam que spammers usem sua infraestrutura.

Domínio, ou mais corretamente blacklists de URI, operam de forma semelhante, porém eles são usados para verificar os nomes de domínios e endereços de IP (URI) dentro do email para determinar se eles têm sido vistos em mensagens de spam anteriormente relatadas. Isso permite o bloqueio ou filtragem de mensagens de spam a partir de diferentes endereços de IP e com diferentes cópias criativas. As blacklists de URI bem conhecidas, tais como SURBL, URIBL.com e o DBL de Spamhaus, são comumente utilizados pelos ISPs para ajudar a determinar se o seus emails devem chegar às caixas de entrada dos assinantes. Então, como você descobre se está em uma blacklist? Você já deve ter notado, olhando para seus registros de rejeição e ver respostas como “Email Recusado – xxx.xxx.xxx.xxx endereço de IP na blacklist” ou “550 Service Unavailable; xxx.xxx.xxx.xxx anfitrião bloqueado“, mas se você não viu essas mensagens, então deve começar a monitorar ativamente a blacklist para que possa reagir rapidamente e resolver os problemas que possam surgir.

O Alerta de blacklist da Return Path vai monitorar toda sua atividade de correio de saída e notificá-lo imediatamente que você deve estar listado em qualquer das blacklists importantes. Além disso, você também pode obter informações sobre a razão pelas quais foi listado e como conseguir ser removido da mesma antes que o desempenho da campanha seja significativamente afetado.

Na minha experiência, alguns operadores de blacklist, como porteiros de clubes noturnos, podem ser difíceis de negociar sem um intermediário como a Return Path e exigiram a introdução de padrões elevados impraticáveis antes de considerar a retirada da lista. Isso pode ter um efeito devastador sobre o seu negócio, já que não sendo capaz de entregar email para seus clientes você pode se encontrar uma sérias de dificuldades financeiras em um curto espaço de tempo. Portanto, a melhor maneira de evitar problemas é não enviar coisas que poderiam colocá-lo em apuros, em primeiro lugar, e monitorar e manter uma boa reputação para que você não se afaste do clube.

Finalmente, é importante lembrar daquelas pessoas furando a fila na boate porque eles eram o tipo de clientela de classe alta, bem vestida que o clube precisa para manter a sua reputação com os clientes. Ao operar um programa bom de email você será elegível para participar desta lista de VIPs que os ISPs vão querer deixar entrar, nós chamamos a nossa lista VIP de, programa de Certificação Return Path que é a whitelist mais respeitada no universo de email.

Leia mais sobre isso aqui: http://www.returnpath.net/commercialsender/certification/